Madeiras Carbonizadas

Madeiras Carbonizadas: Como Funciona a Técnica Japonesa?

Maestria, respeito e tecnologia de ponta, estes termos podem definir as características culturais do Japão, um país no qual vivem milhões de pessoas nas casas repletas de fachadas compostas por madeiras carbonizadas.

Em alguns locais de Tóquio, principalmente nas áreas mais luxuosas da capital japonesa, é mais fácil ver ruas repletas de fachadas com madeiras pretas do que de outros tons.

Não à toa as principais revistas sobre decoração são publicadas com diversas fotos que trazem mansões e palácios cercados por madeira carbonizada, na terra do sol nascente e em outras partes da Terra, inclusive Brasil.

Mas, sabia que a escolha da matéria-prima trabalhada nas tonalidades negras não ocorre apenas pelo desejo de enobrecer a estética? Acontece que os materiais submetidos ao tratamento japonês se tornam mais resistentes a intempéries climáticas e aos ataques de insetos.

A técnica japonesa para madeiras carbonizadas que ganha o mundo da arquitetura

Os recursos japoneses parecem impactar o mundo cada vez mais, não apenas ao considerar os computadores de última geração como também se levar em consideração as técnicas artísticas para arquitetura.

No mercado arquitetônico são diversos os métodos do Japão que ganham notoriedade, com destaque principal para a técnica Yakisugi (焼杉) que visa preservar as madeiras aplicadas em revestimentos externos ou internos.

O sucesso do método é tamanho que já existem diversos artistas que reinventam os processos tradicionais de carbonização para gerar criações exclusivas a fim de integrar às propriedades da elite mundial.

Quais são as origens da técnica Yakisugi?

Tudo começou no Japão, na ilha de Naoshima, há mais de 350 anos, em vilas com casas de pescadores.

Acontece que os efeitos dos mares e da maré eram verdadeiros problemas para as madeiras das casinhas nos vilarejos. Após diversas tentativas uma técnica se mostrou como efetiva na defesa da constituição das fachadas madeiradas.

Esta técnica englobou a utilização de fogo para carbonizar a madeira que se demonstrou efetiva não apenas no combate aos efeitos das intempéries como também afastou cupins e fungos.

Não se sabe ao certo quem inventou a madeira carbonizada. Provavelmente foi um ferreiro que conhecia as propriedades antioxidantes do fogo no metal e resolveu experimentar em estruturas madeiradas para tentar preservar as casas dos pescadores japoneses.

É um mito considerar Terunobu Fujimori como inventor da madeira carbonizada. Este arquiteto japonês contemporâneo apenas tem responsabilidade por popularizar esta técnica para fora das fachadas japonesas, mundialmente (saiba mais sobre Fujimori no final do artigo).

Como funciona a técnica Yakisugi na composição da madeira?

Este é um método tradicional japonês de preservação de madeira.

O termo “Yaki” significa aquecer com fogo. A palavra “sugi” é cipreste (grupo de árvores coníferas).

Também conhecido no ocidente como madeiras carbonizadas para revestimentos, este produto pode ser produzido de modo personalizável ou estar disponível em marcas diferentes no varejo, exemplo: Shou Sugi Ban.

Ao carbonizar de forma leve a superfície sem queimar toda a peça as madeiras se tornam à prova de água pela carbonização, mais durável. Também protege contra insetos, além de retardar os avanços dos incêndios.

As formas de carbonizar madeira se diferenciam ao comparar os tempos antigos com a indústria da pós-modernidade. Veja mais abaixo:

Método antigo japonês para produzir madeiras carbonizadas

Nos séculos anteriores não existiam os mesmos recursos atuais, de modo que a forma de produzir era quase única e exigia bastante destreza por parte dos produtores.

Os produtores treinavam por anos antes de alcançar o ponto certo entre não queimar toda a madeira e ao mesmo tempo proteger com carbonização.

Basicamente era necessária a utilização de fogueiras para queimar a camada externa utilizando suportes madeirados. Algumas tribos asiáticas ou oceânicas ainda carbonizam com uso da metodologia antiga.

Método moderno para carbonizar madeiras

Em épocas atuais os produtores utilizam luvas de proteção, óculos e diversas formas para a carbonização. Não podemos indicar esta metodologia japonesa como exclusiva porque embora também tenha nascido no Japão já é aplicada em diversas oficinas ao redor do globo terrestre.

Na grande parte dos casos a produção das tábuas carbonizadas ocorre com uso de um maçarico potente que consegue agir de forma direta na proteção das fibras externas nas madeiras.

O uso do maçarico gera as cores escurecidas e a proteção contra agressores naturais, ataques de insetos ou efeitos climáticos.

Madeiras Carbonizadas: Passo a passo da produção

É melhor comprar as madeiras carbonizadas de marcas ou fornecedores especializados no desenvolvimento das técnicas Yakisugi. Existem 6 fases no ciclo produtivo total do produto:

  1. Limpeza total da madeira para retirar as impurezas que podem comprometer os resultados.
  2. O produtor decide se vai trabalhar com a madeira já instalada ou antes de instalar nas fachadas. Caso seja possível trabalhe antes da instalação.
  3. A madeira é queimada com um maçarico.
  4. Com uma lixa especial a tábua de madeira recebe uma escovação para gerar tonalidade negra uniforme e retirar da superfície o excesso de carbono.
  5. Aplicação do óleo de centro para impermeabilizar.
  6. Uso do produto selante para evitar a geração de manchas que inviabilizam a qualidade dos efeitos estéticos.

Quais madeiras são boas para carbonizar?

As grandes produtoras de madeiras carbonizadas optam por matérias-primas que possuem uma excelente média de dureza Janka. Quanto mais duro melhor é o material para ser carbonizado.

As duas madeiras mais duras do mundo para uso nos revestimentos carbonizados são: Ipê e Cumaru, ambas espécies de lei existentes no território brasileiro, principalmente na região Norte.

Você também pode encontrar a produção em outros tipos de madeiras. Contudo, o produto apenas é considerado de luxo quando tem na composição maciça Cumaru ou Ipê.

Mais sobre Terunobu Fujimori

Terunobu Fujimori popularizou as criações arquitetônicas com madeira carbonizada na base das técnicas de Yakisugi e conseguiu uma fama mundial.

Ele gerou inovações nos métodos e transmitiu notoriedade ao ponto de transformar peças para casas de pescadores em verdadeiros itens de propriedades luxuosas.

Graças aos estímulos dos trabalhos de Fujimori na atualidade há artistas que carbonizam madeiras com outros materiais como pedras, polímeros e alumínio.

Em decorrência da peculiaridade artística e dos trabalhos austeros de Fujimori diversos arquitetos reinventam as formas de produção para produzir novas madeiras carbonizadas que se tornam tendências globais rapidamente.